domingo, 5 de fevereiro de 2012

3º Cap. - Lugares separados.


 Ela ouviu o seu celular tocar. Merda, pensou.
- Alô ? . -
- Anne! -
- Henrique ? -
- A Anne, que bom que você atendeu.
- Merda, que diabo você quer em plena segunda feira as 4h das manhã?! – Ela o perguntou.
- Anne, Anne, Anee... – Ele cantarolava seu nome. – Porque você se chama Anne mesmo? – Peraê, o desgraçado a acordou para perguntas sobre o seu nome?
- Seu idiota,  o que você quer? -
- Droga, você é a única que pode me salvar. Cara, o carro, a porra do carro... – Ela ficou assustada. Que carro? Henrique não tinha carro desde que trancou a faculdade e seu pai lhe tirou como um castigo. Meu Deus, será que roubou? Estava preso?
- O que diabo você fez? – Sua voz era uma mistura de irritação e medo.
- Peguei o carro do meu pai, mas não me lembro aonde estacionei. Se ele acordar amanhã e não achar , ele vai me matar. – Ela riu. Ele estava completamente embriagado, e embora ficasse com dó, já estava na hora de Henrique aprendesse a lhe dar com seus problemas sozinhos.
- Certo, espera ai que vou te ajudar.-
- Nossa,obrigado. O endereço é...- Ela desligou o celular e voltou a dormir,amanhã seria um longo dia.
                                                                ***
- Olá estranho – Ela sentou ao seu lado com um sorriso no rosto.
- Se você tivesse um pouco de vergonha na cara, não falava comigo nunca mais! – E ela riu para o rapaz que tinha enormes olheiras no rosto.
- A qual é bebezinho. Vai dizer que ficou zangado? Pensei que você fosse o maioral, o garanhão do pedaço, sabe.
- Droga, foi por muito pouco que não me ferrei. Se meu pai me pegasse... Não quero nem pensar nisso, já basta ter que trabalhar na droga dessa editora, ter que andar de ônibus, o que mais falta pra minha vida virar um inferno total?
- Na verdade, o que falta pra sua vida virar o paraíso, não é? Oh, eu vou sair por ai hoje e pegar cinco, seis menininhas e chegar atrasado porque o papai é o chefe. Vou roubar um carro pra dar uma de bonzão. Vou ligar o meu foda-se para o mundo, e que se danem. Não preciso me preocupar com a merda de nada. – Ela o imitava em um tom Irônico. – Acorda Henrique! A vida está passando e você está ai, no mesmo lugar, reclamando do que você não tem. Quando há pessoas que estão aqui – Ela  gesticulou para o ponto de ônibus – que realmente precisam, que acordam diariamente porque precisam sustentar famílias.
Antes que ele rebatesse o que foi dito, o ônibus chegou. Ela subiu e ele também, embora dessa vez para lugares separados.

3 comentários:

Harley Quinn ❥ disse...

"A vida está passando e você está ai, no mesmo lugar, reclamando do que você não tem." parece falando diretamente pra mim, quase 20 anos e sendo aquele velho clichê do copo meio vazio ):

Layla Saluanne disse...

Aii, que nada Jéh!
Sua hora um dia chega, vc só tem que correr atrás do que realmente é.

Letícia Barcelos disse...

Oi, encontrei seu blog por um acaso (por causa da foto) rsrs, enfim acabei lendo o post. No inicio bem pensei que seria uma história de amor, mas ao desenrolar do texto fiquei surpresa! Gostei muito, e continue escrevendo e trazendo mais reflexões assim! Se quiser dê uma passada no meu blog depois.

http://leticiabarcelos.blogspot.com.br/

Beijos