quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Durante algum tempo...

 
 contei mentiras a mim mesma com a pretensão de mudar o que eu sentia por dentro, mas não foi o suficiente para esquecer. Eu vestia disfarces para ninguém me reconhecer, fingia que não sentia, que não via. Engolia tudo aquilo que não me fazia bem, sem soltar nenhuma palavra a respeito daquilo que me fazia mal. Fui alimentando rancores, inventando ilusões, colecionando lágrimas e desperdiçando emoções. Achando que de algum modo aquilo iria passar. E passaram-se os dias, os meses, os anos, as pessoas. Passaram-se tudo, menos a dor. Tudo que eu sempre quis esquecer, ficou guardado por dentro e estampado por fora. Perdia-me em lembranças ruins, em histórias mal contadas, em mentiras deslavadas. Não conseguia me encontrar, me decidir, me definir. Queria mudar de rumo, queria mudar o mundo, nem que fosse só o meu. Durante muito tempo, numa busca incansável, num encontro desesperador, fui me achando, encontrando respostas e definindo sentimentos. Depois de várias contradições, cheguei a uma conclusão: Não existe uma definição exata para aquilo que sou, mas sou tudo aquilo que eu busco ser, um dia!
 

3 comentários:

Kell disse...

Que lindoo *-*
Adorei!

Jessie ❥ disse...

AAh laaay que lindo este texto (:

Layla Saluanne disse...

Eu tb mee apaixonei por esse texto! Mt lindo *--*