quarta-feira, 15 de junho de 2011

" É difícil me iludir,


 porque não costumo esperar muito de ninguém. Odeio dois beijinhos, aperto de mão, tumulto, calor, gente burra e quem não sabe mentir direito. Não puxo saco de ninguém, detesto que puxem meu saco também. Não faço amizades por conveniência, não sei rir se não estou achando graça, não atendo o telefone se não estou com vontade de conversar."
 "Mas estou vivo e, sinto muito, vou continuar."

1 comentários:

@iamaburguesinha disse...

Eu ameeeeeeeeeeeeeei esse texto aqui Lay,me descreve completamente, amei.